quinta-feira, 4 de agosto de 2016

ATIVIDADE DE COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS– GÊNEROS TEXTUAIS: EDITORIAL E CHARGE

ATIVIDADE DE COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO – 
GÊNEROS TEXTUAIS: EDITORIAL E CHARGE

EDITORIAL 07/06/2016

Cultura da corrupção
Prática nefasta, a corrupção é uma das marcas do atraso brasileiro


Durante o fim de semana, o noticiário foi pródigo em trazer à tona o conteúdo das colaborações premiadas de Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro (OAS), Sérgio Machado e Nestor Cerveró. Sobrou para todos os lados. Há citações de casos de corrupção nos governos de Fernando Henrique Cardoso, Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. É sinal de que a política ainda se manterá instável e nervosa por um longo período.
O comando na Presidência da República mudou, mas a Lava Jato se manteve célere e atuante. Muitos novos detalhes do impressionante sistema de corrupção montado no âmbito dos negócios da Petrobrás ainda serão conhecidos. O esquema serviu tanto para financiar partidos e políticos quanto para enriquecimento pessoal de muitos envolvidos.
Chama a atenção o caso do cearense Sérgio Machado. Há notícias apontando que o ex-presidente da Transpetro e filhos vão devolver cerca de um bilhão de reais desviados de contratos firmados pela estatal. Para termos uma noção mais clara, o valor é equivalente ao que a Andrade Gutierrez aceitou pagar de multa em seu acordo de leniência.
No que pesem os valores das propinas bem acima das expectativas, o esquema de corrupção exposto pela Lava Jato comprova antiga percepção da sociedade: a suspeita de que não há grandes contratos no setor público que não envolva algum tipo de suborno a agentes públicos. Há na sociedade a sensação de que se trata de uma prática disseminada nas diversas esferas de poder.
Da União, passando pelos estados e municípios.
Pagar um “pedágio” pelo contrato público, fazer doação de campanha eleitoral ou coisas do tipo se tornaram práticas corriqueiras e, até, socialmente aceitas. Um mérito da Lava Jato é passar para a sociedade e, principalmente, para os que se habilitam a cometer desvios com o dinheiro público a ideia de que a penitenciária é um risco que aumentou significativamente.
Prática nefasta, a corrupção é uma das marcas do atraso brasileiro ao mesmo tempo em que é uma das responsáveis diretas pela má qualidade das obras e dos serviços públicos. A impunidade é seu maior estimulador. A expectativa é que nossas instituições criem uma cultura de implacabilidade contra a corrupção.


01. O gênero textual Editorial é construído, principalmente, de acordo com a tipologia:
a) Descritiva
b) Narrativa
c) Dialogal
d) Injuntiva
e) Argumentativa

02. Normalmente, os textos são construídos a partir de uma tipologia textual predominante, mas sabemos também que eles também podem apresentar traços de outras tipologias. Com base nesse conhecimento, aponte a alternativa que indica a tipologia textual presente no trecho a seguir.

“Durante o fim de semana, o noticiário foi pródigo em trazer à tona o conteúdo das colaborações premiadas de Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro (OAS), Sérgio Machado e Nestor Cerveró”.

a) Argumentativa
b) Descritiva
c) Expositiva
d) Injuntiva
e) Narrativa

03. O Editorial tem como função
a) possibilitar ao cidadão comum expressar a sua opinião sobre os problemas em destaque no país.
b) expressar a opinião da empresa jornalística sobre algum problema que está em pauta no momento.
c) explicar com detalhes algum problema que está polêmico que está afligindo a população.
d) narrar histórias que comprovam a opinião defendida pelo autor do editorial.
e) manifestar opiniões diversas sobre um mesmo assunto para confrontar pensamentos divergentes.

04. O Editorial em análise apresenta como TESE:
a) A corrupção faz parte do cotidiano dos brasileiros.
b) O esquema de corrupção financiou partidos e políticos e para enriqueceu licitamente muitos envolvidos.
c) Não há, no Brasil, nenhuma obra pública que não tenha propina envolvida.
d) A corrupção contribui para o subdesenvolvimento do Brasil e a péssima qualidade das obras e serviços públicos.
e) A prática da corrupção já adentrou em todos os setores públicos e privados, destruindo toda e qualquer chance de moralidade política no Brasil.

05. “...o valor é equivalente ao que a Andrade Gutierrez aceitou pagar de multa em seu acordo de leniência”. O termo em destaque tem o significado de
a) delação.
b) paciência.
c) condescendência.
d) desobstrução.
e) substituição.

06. “Prática nefasta, a corrupção é uma das marcas do atraso brasileiro ao mesmo tempo em que é uma das responsáveis diretas pela má qualidade das obras e dos serviços públicos”. O termo grifado pode ser substituído, sem prejuízo de sentido, pela palavra
a) nociva.
b) absurda.
c) patológica.
d) impoluta.
e) abominável.

07. No período “O esquema serviu tanto para financiar partidos e políticos quanto para enriquecimento pessoal de muitos envolvidos”, a locução conjuntiva destacada transmite ideia de
a) comparação.
b) causalidade.
c) concessão.
d) condição.
e) conformidade.

08. “Pagar um “pedágio” pelo contrato público, fazer doação de campanha eleitoral ou coisas do tipo se tornaram práticas corriqueiras...”. O uso das aspas na palavra grifada tem o objetivo de
a) informar ao leitor que a palavra pedágio é um estrangeirismo.
b) deixar claro para o leitor que a palavra pedágio foi empregada no sentido denotativo.
c) mostrar ao leitor que a palavra pedágio foi dita por outra pessoa.
d) apenas destacar a palavra na frase, pois o jornalista a considera importante.

e) deixar claro ao leitor que a palavra pedágio foi usada com um sentido diferente do usual.



09. Através da análise dos textos verbais e não-verbais da charge, pode-se concluir que ela apresenta
a) uma crítica à corrupção dos políticos brasileiros.
b) uma crítica à conduta incorreta de alguns policiais.
c) uma crítica ao comportamento corrupto das pessoas no cotidiano.
d) um elogio à conscientização da população em lutar contra a corrupção.
e) uma denúncia sobre o desrespeito às leis e sinalizações de trânsito.

10. Ao analisar o protesto dos manifestantes e o comportamento do motorista (que também é um dos manifestantes) ao ser abordado pela polícia, percebe-se que há
a) uma convergência de ideias.
b) uma contradição entre os comportamentos.
c) uma disputa de interesses.
c) um conflito interno do manifestante multado.
d) um descaso com o bem-estar da população.



GABARITO: 01. E; 02. C; 03. B; 04. D; 05. C; 06. A; 07. A; 08. E; 09. C; 10. B.

Nenhum comentário:

Postar um comentário