segunda-feira, 8 de agosto de 2016

REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL E PROPOSTA DE REDAÇÃO ESTILO ENEM (16)




PROPOSTA DE REDAÇÃO – PREPARAÇÃO PARA O ENEM


A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO em NORMA PADRÃO da língua portuguesa sobre o tema “OS DESAFIOS QUE ENVOLVEM A GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL EM PLENO SÉCULO XXI”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa do seu ponto

TEXTO 01:
A QUESTÃO DO LIXO NAS SOCIEDADES DE CONSUMO

Meio ambiente e ecologia são assuntos normalmente incômodos para líderes governamentais, pois colocam em evidência a difícil relação entre a sociedade de consumo e a natureza. Com o culto ao novo, ao tecnológico, produtos que poderiam durar anos passam a ser descartados em tempos curtíssimos e de modo irregular, acelerando a geração de lixo. O uso desenfreado do plástico é outro problema, pois seu longo período de vida faz com que os danos à natureza sejam agravados. Pressionados por defensores do meio ambiente, órgãos do governo criam, às vezes, medidas isoladas, como a que proibiu a distribuição de sacolinhas plásticas em supermercados e outros pontos comerciais. Mas, afinal, o lixo é responsabilidade de quem? Que problemas ele pode trazer futuramente para a sociedade? O que precisa ser feito para que o lixo não provoque estragos ainda maiores ao meio ambiente e, consequentemente, à vida no planeta?


TEXTO 02:


TEXTO 03:

Gestão de Resíduos
Política Nacional de Resíduos Sólidos

A Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), é bastante atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.
Prevê a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).

Institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: dos fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, o cidadão e titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo e pós-consumo.
Cria metas importantes que irão contribuir para a eliminação dos lixões e institui instrumentos de planejamento nos níveis nacional, estadual, microregional, intermunicipal e metropolitano e municipal; além de impor que os particulares elaborem seus Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.
Também coloca o Brasil em patamar de igualdade aos principais países desenvolvidos no que concerne ao marco legal e inova com a inclusão de catadoras e catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, tanto na Logística Reversa quando na Coleta Seletiva.
Além disso, os instrumentos da PNRS ajudarão o Brasil a atingir uma das metas do Plano Nacional sobre Mudança do Clima, que é de alcançar o índice de reciclagem de resíduos de 20% em 2015.



DICA IMPORTANTÍSSIMA:

Como o tema trata dos desafios que envolvem a gestão de resíduos sólidos no Brasil em pleno século XXI, não podemos deixar de ficar atentos à palavra satélite “DESAFIOS”, pois ela delimita a linha de pensamento, os aspectos em que devemos focar o nosso texto que trata da gestão dos resíduos sólidos. Para ajudá-los na produção dessa proposta de redação, listei alguns desafios que estão presentes na realidade brasileira. É importante que os desafios sejam citados logo na Introdução da redação e, durante o desenvolvimento, eles sejam comentados, exemplificados, criticados. Se vocês tiverem em mente outros desafios, postem aqui nos comentários para que, juntos, possamos construir e compartilhar conhecimentos.

Desafio 1 – Cumprir as metas estipuladas pela Lei de Resíduos Sólidos.
Desafio 2 – Fazer com que as pessoas assumam um comportamento sustentável no seu dia a dia.
Desafio 3 – tornar equipolente (uniforme, igual, ...) o tratamento dado ao lixo em todas as regiões do país.
Desafio 4 – Incentivar o consumo consciente da população.
Desafio 5 – Investir na criação de usinas de tratamento e de reciclagem de resíduos sólidos.
Desafio 6 – Ampliar a coleta seletiva e a reciclagem de resíduos sólidos em todas as cidades do país.

OBS.: É claro que em um texto dissertativo-argumentativo de, no máximo 30 linhas, não será possível falar de tantos desafios, então, o ideal é que vocês escolham dois ou três (no máximo) para comentar no texto. Lembrem- se de que, para cada desafio citado, deve aparecer na conclusão, pelo menos, uma solução.


REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL

- Podem-se citar números e dados estatísticos que demonstram como o problema do lixo ainda é um desafio para o Brasil.

Texto 1

Lixões ainda fazem parte da realidade do Brasil
Por Equipe ONB -  21/11/2015

Após mais de um ano do fim do prazo para o fechamento dos lixões no país, 41% dos resíduos gerados pelos brasileiros continuam sendo despejados nesses locais.
De acordo com pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe),no ano passado, mais de 41% dos 78,6 milhões de toneladas de resíduos sólidos gerados no país tiveram como destino lixões e aterros controlados e 3.334 dos 5.570 municípios brasileiros ainda mantêm lixões. A maioria deles são pequenas e médias cidades, mas há também cidades grandes, como Brasília.
Cerca de 75 milhões de brasileiros usam, provavelmente sem saber, os 3.000 lixões ou aterros inadequados ativos no país e são afetados pelos danos ambientais causados por eles: contaminação do ar, da água, do solo, da fauna e da flora por substâncias tóxicas e cancerígenas. Um novo estudo fez a conta do impacto do problema no sistema de saúde do país: R$ 1,5 bilhão por ano. Se os lixões continuarem abertos, em cinco anos, o custo chegará a R$ 7,4 bilhões.
A Lei 12.305/2010 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) tem como prioridades a redução do volume de resíduos gerados, a ampliação da reciclagem, aliada a mecanismos de coleta seletiva com inclusão social de catadores e a extinção dos lixões. Além disso, prevê a implantação de aterros sanitários que receberão apenas dejetos, ou seja, o que não pode ser aproveitado.
Dos 5.565 municípios brasileiros, somente cerca de 900 têm o serviço de coleta seletiva. A produtividade é baixa: apenas 12% do que é coletado é reciclado.Estima-se que cada pessoa produza, em média, 1,3 kg de resíduo sólido por dia. Desta forma, uma pequena cidade de apenas 10.000 habitantes produziria cerca de 10 toneladas de lixo diariamente.



·         Texto 2 ( Infográfico):



- Podem-se citar exemplos de como os resíduos sólidos são descartados e tratados em outros países.

Texto 3 

10 lições sustentáveis que o Japão pode ensinar ao Brasil

1) Coleta seletiva de lixo
O lixo é corretamente separado, sendo um saco de lixo de cor diferente para cada tipo de lixo. Ex: branco – plástico; preto – lixo de cozinha; azul – latas e vidros. As crianças aprendem desde pequenas na escola a fazer a separação.
O Japão é um dos países que mais recicla lixo no mundo. Dados da prefeitura de Tokyo dão conta que, no ano de 2007, o Japão reciclava em torno de 80% do seu lixo. A partir dessa data inicia-se uma campanha em todo o país intitulada “gomi zero” (lixo zero). O objetivo é diminuir todo o lixo que for possível, tanto doméstico como industrial.

Os principais tópicos da campanha são:
- Não compre artigos que você acabará jogando fora mais tarde;
- Use artigos que podem ser reutilizados muitas vezes;
- Separe seu lixo cuidadosamente e recicle artigos que são reutilizáveis.

2) Destino correto do lixo
Não adianta separar direito o lixo se não existe um local adequado para o despejo. A separação correta do lixo facilita a destinação correta, o lixo é enviado para usinas de tratamento onde é separado por categoria e depois encaminhado para as indústrias onde será reaproveitado.
O lixo que não é reciclado vai para os incineradores, produzindo monóxido de carbono (CO). O monóxido de carbono, por sua vez, apresenta poder calorifico, isto é, pode ser queimado para gerar energia. (...)


Aproveitem bem as dicas!!!

2 comentários:

  1. Pode-se citar os animais marinhos que sofrem com resíduos plásticos no fundo do mar ou até mesmo um fato histórico como a Segunda Revolução Industrial que poluiu a atmosfera com os motores a combustão e isso é desencadeado até hoje, pois não há políticas públicas que combatem isso; porém, têm-se carros que são movidos a Hidrogênio e seria uma ótima solução para um tempo futuro. O que se deve ponderar é que a necessidade tornou-se uma questão de urgência para combater a poluição de rios, mares e da atmosfera. :)

    ResponderExcluir
  2. Pode-se citar os animais marinhos que sofrem com resíduos plásticos no fundo do mar ou até mesmo um fato histórico como a Segunda Revolução Industrial que poluiu a atmosfera com os motores a combustão e isso é desencadeado até hoje, pois não há políticas públicas que combatem isso; porém, têm-se carros que são movidos a Hidrogênio e seria uma ótima solução para um tempo futuro. O que se deve ponderar é que a necessidade tornou-se uma questão de urgência para combater a poluição de rios, mares e da atmosfera. :)

    ResponderExcluir