segunda-feira, 6 de junho de 2016

MODELO DE TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO ESTILO ENEM (2)


Os discentes que estão estudando o texto dissertativo-argumentativo apresentam, muitas vezes, dificuldades em criar o seu texto e, pensando nisso, apresento uma proposta de redação e uma REDAÇÃO feita com base nas exigências do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Ressalto que não existem modelos fixos, mas variadas formas de se produzir textos da tipologia dissertativo-argumentativa. Entretanto, acredito que, para dar aquele impulso inicial, o modelo apresentado pode ajudar bastante.

PROPOSTA DE REDAÇÃO – PREPARAÇÃO PARA O ENEM

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema “A PRÁTICA DO BULLYING NAS ESCOLAS BRASILEIRAS: UM GRAVE PROBLEMA A SER COMBATIDO”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa do seu ponto de vista.
  
TEXTO 01:                                   

BULLYING NA ESCOLA (Por Thais Pacievitch)

Bullying é de origem inglesa e corresponde a um ato caracterizado pela violência física e/ou psicológica, de forma intencional e continuada, de um individuo, ou grupo contra outro(s) individuo(s), ou grupo(s), sem motivo claro.
No Brasil, a palavra “Bullying” é utilizada principalmente em relação aos atos agressivos entre alunos e/ou grupos de alunos nas escolas. Até pouco tempo, o que hoje reconhecemos como Bullying, era visto como fatos isolados, “briguinhas de criança”, e normalmente família e escola não tomavam atitude nenhuma a respeito.
Atualmente o Bullying é reconhecido como problema crônico nas escolas, e com conseqüências sérias, tanto para vítimas, quanto para agressores. (...)



 TEXTO 02:



TEXTO 03:

PRESIDENTA DILMA SANCIONA LEI DE COMBATE AO BULLYING

Nova norma caracteriza claramente as situações de agressão física, psicológica e moral

A Lei que estabelece o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying) em todo o Brasil já está publicada e entra em vigor dentro de 90 dias. O texto foi sancionado pela presidenta Dilma Rousseff e está presente no Diário Oficial da União desta segunda-feira (9). A nova norma caracteriza claramente as situações de agressão física, psicológica e moral que podem ser consideradas bullying e estabelece regras para definir casos de intimidação realizados por meio da internet.
O programa tem por principal objetivo prevenir e combater a prática da intimidação sistemática em toda a sociedade. A abordagem a ser adotada deve evitar, tanto quanto possível, a punição dos agressores, privilegiando mecanismos e instrumentos alternativos que promovam a efetiva responsabilização e a mudança de comportamento hostil.
Lei nº 13.185 determina que será considerada intimidação sistemática (bullying) todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas. A nova Lei entra em vigor dentro de 90 dias.
http://www.brasil.gov.br/governo/2015/11/presidenta-dilma-sanciona-lei-de-combate-ao-bullying

MODELO DE REDAÇÃO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVA ESTILO ENEM


“A PRÁTICA DO BULLYING NAS ESCOLAS BRASILEIRAS: UM GRAVE PROBLEMA A SER COMBATIDO”

Está cada vez mais rotineira, nas escolas brasileiras, a prática de uma violência denominada bullying. Muitas crianças e jovens sofrem diariamente com brincadeiras nada inofensivas, atos violentos e degradantes que os ferem e os humilham diante da comunidade escolar. Essa intimidação sistemática pode gerar sérios transtornos tanto para a vítima quanto para o agressor, que também pode apresentar problemas psicológicos. (*Apresentação geral do tema com considerações pessoais sobre o assunto – configura autoria) A partir dessa observação, reconhece-se, portanto, que o problema do bullying é gravíssimo e deve ser enfrentado por toda sociedade, pois pode destruir a vida de muitas pessoas. (*TESE – pensamento que vai ser defendido ao longo do texto)
Sabe-se que a primeira grande dificuldade que a criança enfrenta se dá no momento em que ela deixa o aconchego do lar e vai viver outras experiências de relacionamento na escola. Nesse momento, começam os desafios de convivência com pessoas diferentes e, logo cedo, os infantes já entram em contato com os preconceitos e, muitas vezes, com a rejeição. Normalmente, o bullying inicia com brincadeiras inocentes que, se não forem monitoradas, esclarecidas, ou até censuradas podem se prolongar por anos, causando na vítima sérios transtornos psicológicos que podem, em casos extremos, provocar o suicídio, (*Explicação sobre como se dá o problema do bullying + considerações pessoais – configura autoria) como foi mostrado, por exemplo, no filme espanhol “Bullying – Provocações sem limites”, em que o personagem principal, Jodi, sofre inúmeras perseguições e agressões, após ir estudar em uma nova escola até que, lamentavelmente, suicida-se. (*Citação de um filme que está relacionado com o tema da redação e com o comentário que foi feito anteriormente – caracteriza repertório sociocultural)
Segundo a psicóloga Ana Cássia Maturano, as vítimas da intimidação sistemática apresentam, no geral, uma personalidade mais frágil e uma baixa autoestima mesmo antes de começarem a sofrer as agressões na escola, fazendo com que, na maioria das vezes, não tenham coragem de se defender e não se sintam seguros em denunciar e/ou pedir ajuda. Já com relação aos agressores, percebe-se que são pessoas que precisam rotineiramente provar a sua superioridade por meio da intimidação, da violência, e não aceitam oponentes. (*Citação da opinião de uma especialista no assunto – caracteriza repertório sociocultural) Entretanto, não é por acaso que sejam assim, pois é muito comum que venham de lares desestruturados, permissivos e/ou violentos. Em ambos os casos, os envolvidos precisam da ajuda dos pais e de acompanhamento especializado. (*Opinião que confirma o que foi exposto da Introdução – configura autoria)
Desse modo, entende-se que é necessário que os gestores e professores estejam atentos à prática de bullying no ambiente escolar e desenvolvam um programa de discussão e de conscientização permanente sobre intimidação sistemática, através de palestras e mesas redondas, inclusive com a participação dos pais, a fim de que todos possam conhecer a problemática e as suas consequências. (*Solução detalhada tendo como agentes principais os gestores e professores, referente ao que foi comentado no 2º parágrafo) Ademais, uma vez detectada tal intimidação, é imprescindível que os genitores e a escola conheçam a extensão do problema e busquem, se necessário, a ajuda de psicólogos para que seja feito um acompanhamento com todos os sujeitos, antes que os transtornos se tornem irreversíveis. (*Solução detalhada tendo como agentes principais os genitores, referente ao que foi comentado no 3º parágrafo)
Autora: Professora Suziane Brasil Coelho


RESUMO DA ESTRUTURA DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVA UTILIZADA NESSA REDAÇÃO

1º Parágrafo: INTRODUÇÃO
- Apresentação geral do tema com considerações pessoais (pensamento próprio) sobre o assunto - configura autoria.
- TESE - pensamento que vai ser defendido ao longo do texto.

2º Parágrafo: DESENVOLVIMENTO
- Explicação sobre como se dá o problema do bullying + considerações pessoais – configura autoria.
- Citação de um filme que está relacionado com o tema da redação e com o comentário que foi feito anteriormente – caracteriza repertório sociocultural.

3º Parágrafo: DESENVOLVIMENTO
- Citação da opinião de uma especialista no assunto em conformidade com o pensamento que está sendo defendido ao longo do texto – caracteriza repertório sociocultural. 
- Opinião que confirma o que foi exposto da Introdução – configura autoria.

4º Parágrafo: CONCLUSÃO
- Solução detalhada tendo como agentes principais os gestores e professores, referente ao que foi comentado no 2º parágrafo.
- Solução detalhada tendo como agentes principais os genitores, referente ao que foi comentado no 3º parágrafo.

Sugestão de detalhamento das intervenções:
- Quem vai fazer? (O AGENTE)
- O que vai fazer? (A AÇÃO)
- Como vai fazer? (O MODO)
- Por que vai fazer? e/ou Para que vai fazer? (OBJETIVO/FINALIDADE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário