quarta-feira, 22 de junho de 2016

PROPOSTA DE REDAÇÃO ESTILO ENEM (09)




PROPOSTA DE REDAÇÃO – PREPARAÇÃO PARA O ENEM
A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema “O INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO COMO UMA FORMA DE DESENVOLVER O BRASIL”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa do seu ponto de vista.


TEXTO 01:
Mas o que significa empreender?

O conceito de empreendedorismo é muito mais amplo do que a simples abertura de novas empresas. Ser empreendedor vai bem além de apenas possuir empresas. Empreender significa melhorar o desempenho, o ganho ou o lucro. Empreender é transformar rotinas de trabalho de forma que aumentem a produtividade. É ter ideias inovadoras e desafiadoras. É enxergar fora da caixa, ver além do óbvio, é apresentar soluções criativas e inovadoras.
Empreender é estar sempre pensando novas formas de encontrar soluções para qualquer coisa que afete a vida das pessoas. Atitudes empreendedoras trazem inovação, desenvolvem tecnologias e ajudam a movimentar o ecossistema do empreendedorismo no país, o que acaba trazendo mais segurança e incentivo à abertura de novos empreendimentos.


TEXTO 02:





TEXTO 03:
EDITORIAL 27/05/2016

MAIS FACILIDADES PARA OS EMPREENDEDORES
Abrir uma empresa está nos planos de 44% dos brasileiros.

Os governos só têm como fonte para financiar as políticas públicas o dinheiro que é arrecadado da força de trabalho dos empreendedores e empregados. Portanto, o Estado deveria ser facilitador para o surgimento de novos negócios, sejam pequenos, médios ou grandes. No entanto, prevalece a desestimulante teia burocrática que cria imensos obstáculos para o empreendedorismo.
Segundo pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor, feita pelo Sebrae em parceria com Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), abrir uma empresa está nos planos de 44% dos brasileiros. Quase a metade da população sonha em ter negócio próprio. É a maior taxa de empreendedorismo dos países que compõem o G20, superando os BRICs Rússia, Índia e China.
No entanto, no que pese esse exército de candidatos a empresários, uma pesquisa realizada pelo Banco Mundial concluiu que o Brasil ocupa a medíocre 126ª posição no ranking de facilidade para fazer negócios. É como se o Estado servisse não para facilitar, mas sim para desestimular o surgimento de negócios. (...)


TEXTO 04:

Porque os americanos são os mais empreendedores?

No mais recente estudo divulgado pelo GEM – Global Entrepreneurship Monitor, uma iniciativa liderada pelo Babson College (http://www.babson.edu/) que tem como objetivo medir a atividade empreendedora dos países, os americanos despontam como os mais empreendedores do mundo, quando se analisam negócios de alto potencial, ou seja, de alta tecnologia e com base no conhecimento. De cada dez americanos, nove começam negócios com foco em grandes oportunidades inovadoras.
Não é nada surpreendente e a explicação parece simples quando analisamos o quanto aquele paí­s incentiva o empreendedorismo. Mas aí­ você pode perguntar “E no Brasil, não temos tantas pessoas empreendendo por aqui também?” ou “o empreendedorismo não está cada vez mais em evidência por aqui?”. A resposta é Sim e Não. Calma… Não estou ficando maluco. É que nos EUA os empreendedores se destacam por iniciarem negócios com algum teor de inovação, buscando sempre se diferenciar da concorrência. Já no Brasil, tanto aqueles envolvidos na criação de algum negócio novo, como os que já estão administrando um negócio há algum tempo, não pensam da mesma forma. Aqui há muita gente envolvida com o próprio negócio, mas poucos focam oportunidades realmente inovadoras.
Os brasileiros ainda não perceberam que se não priorizarem a inovação dificilmente estarão à frente de seus negócios daqui a cinco anos. Não estou sendo pessimista, pois não se trata de acreditar ou não no potencial tupiniquim. Estou falando com base em dados e estatí­sticas. E contra dados fica difí­cil argumentar. (...)


Instruções:
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário