segunda-feira, 23 de maio de 2016

SUGESTÃO DE MODELO DE TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO ESTILO ENEM (1)












Os discentes que estão estudando o texto dissertativo-argumentativo apresentam, muitas vezes, dificuldades em criar o seu texto e, pensando nisso, apresento uma proposta de redação e uma produção textual feita com base nas exigências do Exame Nacional do Ensino Médio. Ressalto que não existem modelos fixos, mas variadas formas de se produzir textos da tipologia dissertativo-argumentativa. Entretanto, acredito que, para dar aquele impulso inicial, o modelo apresentado pode ajudar bastante.

PROPOSTA DE REDAÇÃO – PREPARAÇÃO PARA O ENEM

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO em NORMA PADRÃO da língua portuguesa sobre o tema AS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A REDUÇÃO DO TABAGISMO NO BRASIL, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa do seu ponto de vista.

TEXTO 01:
LEI ANTIFUMO É APLICADA APESAR DA DEPENDÊNCIA DO TABACO
É permitido fumar só em casa, em áreas ao ar livre, parques, praças, áreas abertas de estádios, tabacarias e locais específicos

A lei 12.546, a chamada Lei Antifumo, foi regulamentada há um ano, no Dia Mundial sem Tabaco, que transcorreu ontem, entrando em vigor em dezembro passado. O texto proíbe fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como saguões e corredores de condomínios, restaurantes e clubes, mesmo que o ambiente esteja parcialmente isolado por parede, divisória, teto ou toldo.
Brasília foi a primeira cidade brasileira a proibir o cigarro nos locais fechados, em 2003. A forte aceitação popular motivou o Ministério da Saúde e outros estados a seguirem o exemplo. No ano em que a proibição distrital entrou em vigor, o índice de fumantes maiores de 18 anos no Distrito Federal era 21%. Atualmente, caiu para 10,7%.
Felipe Pinto, de 36 anos, trabalha na área de relações-públicas de um restaurante de alto padrão no Centro de Brasília. Ele relatou que, de seis meses para cá, desde que entrou em vigor a Lei Antifumo, dificilmente observou algum cliente desobedecendo às novas regras. “As pessoas parecem mais conscientes. Mesmo antes da lei, elas já buscavam fumar do lado de fora do estabelecimento”, disse. (...)




TEXTO 02:



TEXTO 03:
O tabagismo está relacionado a mais de 50 doenças sendo responsável por 30% das mortes por câncer de boca, 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença do coração, 85% das mortes por bronquite e enfisema, 25% das mortes por derrame cerebral. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), todo ano mais de cinco milhões de pessoas morrem no mundo por causa do cigarro. E, em 20 anos, esse número chegará a 10 milhões se o consumo de produtos como cigarros, charutos e cachimbos continuar aumentando. (...)
Não só o fumo ativo, mas o passivo também aumenta os riscos de doença. Sete não fumantes morrem por dia em consequência do fumo passivo. O tabagismo passivo aumenta em 30% o risco para câncer de pulmão e 24% o risco para infarto. (...)
No Brasil, o número de fumantes permanece em queda. Segundo o Vigitel 2013 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), em 2013, a prevalência de fumantes caiu para 11,3%. O dado é três vezes menor que o índice de 1989, quando a pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou 34,8% de fumantes na população. A meta do Ministério da Saúde é chegar a 9% até 2022. (...)





MODELO: AS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A REDUÇÃO DO TABAGISMO NO BRASIL


Até o início dos anos 90, fumar era sinônimo de poder, de independência, inclusive de glamour. Entretanto, conforme o avanço de pesquisas relacionadas ao consumo do cigarro e as orientações e metas da Organização Mundial de Saúde, ainda nessa década, alguns países, dentre eles, o Brasil, implementaram várias ações complementares e interligadas de combate ao tabagismo, fato que possibilitou a diminuição do número de fumantes.(*Apresentação do tema e apanhado geral sobre o assunto com retrospectiva histórica) Reconhece-se, portanto, que esse conjunto de medidas foi extremamente eficaz, mas precisa ter continuidade e ampliação a fim de garantir uma redução ainda maior. (*TESE – pensamento que vai ser defendido ao longo do texto)

Nos últimos 20 anos, o Brasil conseguiu reduzir cerca de 50% o número de dependentes do cigarro, devido a inúmeras políticas públicas que foram sendo colocadas em prática no decorrer desse período. (*Fato que comprova a eficácia das medidas) Dentre elas, é possível citar, por exemplo, a proibição de propagandas de cigarro na TV; as fotos e frases de alerta nos maços de cigarro; a taxação de impostos mais altos sobre os componentes do cigarro; a restrição do fumo em lugares públicos; e o incentivo aos agricultares que plantavam fumo para que eles aderissem à plantação de outro produto agrícola.(*Exemplo para dar mais força e sustentação ao argumento, mostrar conhecimento) Todas essas medidas construíram um cenário positivo e ajudaram a diminuir também as principais doenças adquiridas por esse mau hábito, além de desonerar os gastos da saúde pública com o tratamento dos fumantes. (*Opinião sobre o foi dito e acréscimo de informações que comprovam a tese)

Vale ressaltar, no entanto, que novas ações precisam ser desenvolvidas e algumas outras ampliadas, (*Argumento em forma de contestação)  pois ainda existem algumas lacunas que precisam ser preenchidas, como a questão do tabagismo na faixa etária mais idosa da população que, muitas vezes, não vê mais sentido em parar de fumar. (*Explicação da contestação) Em adição, sabe-se, infelizmente, que é muito frequente no Brasil o contrabando de cigarros, principalmente, na fronteira com o Paraguai. (*Argumento que complementa a ideia de pontos a serem melhorados) Esse tipo de negócio gera muito lucro, já que o produto contrabandeado não paga a alta carga de impostos estipulada pelo governo brasileiro, além de ser feito com matéria prima de menor qualidade. (*Explicação sobre o 2º argumento desse parágrafo)

Face ao exposto, conclui-se que o Brasil tem políticas exemplares de combate ao tabagismo, todavia há a necessidade de um trabalho constante de conscientização da população, a fim de que todos possam compreender os prejuízos causados pelo cigarro. (*Confirmação da opinião defendida na TESE com indicação de uma solução mais geral) Para ampliar essas políticas, é imprescindível que sejam preparadas, pelo Ministério da Saúde, campanhas específicas para um determinado público, como para os idosos, pois muitos deles acreditam que já foram prejudicados (ou não) e, por isso, não adianta mais parar de fumar. (*Solução detalhada para o 1º problema citado no 3º parágrafo) Ademais, é necessário ainda que o Governo Federal contrate, através de concurso público, mais policiais federais para intensificar a fiscalização nas fronteiras do país, com o objetivo de coibir o contrabando de cigarros e, assim, dificultar a venda e a compra de cigarros mais baratos e mais prejudiciais à saúde. (*Solução detalhada para o 2º problema citado no 3º parágrafo)

Autora: Professora Suziane Brasil Coelho

RESUMO DA ESTRUTURA DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVA UTILIZADA NESSA REDAÇÃO

1º Parágrafo:
- Apresentação do tema e apanhado geral sobre o assunto com retrospectiva histórica.
- TESE - pensamento que vai ser defendido ao longo do texto.

2º Parágrafo:
- Fato que comprova a eficácia das medidas, conforme foi mencionado na TESE.
- Exemplo para dar mais força e sustentação ao argumento, mostrar conhecimento e repertório sociocultural.
- Opinião sobre o foi dito (demonstra autoria do candidato) e acréscimo de informações que comprovam a tese.

3º Parágrafo:
- Argumento em forma de contestação, conforme foi mencionado na TESE. (Mostra autoria)
- Explicação da contestação para dar mais força ao pensamento defendido.
- Argumento que complementa a ideia de pontos a serem melhorados. (Mostra autoria)
- Explicação sobre o 2º argumento desse parágrafo, fortalecendo o pensamento defendido.

4º Parágrafo:
- Confirmação da opinião defendida desde a Introdução, com indicação de uma solução mais geral.
- Solução detalhada para o 1º problema citado no 3º parágrafo.
- Solução detalhada para o 2º problema citado no 3º parágrafo.

Sugestão de detalhamento das intervenções:
- Quem vai fazer?
- O que vai fazer?
- Como vai fazer?
- Por que vai fazer? e/ou Para que vai fazer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário