sexta-feira, 27 de maio de 2016

ATIVIDADE DE COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO– GÊNERO TEXTUAL: CARTAZES

ATIVIDADE DE COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO – GÊNERO TEXTUAL: CARTAZES

TEXTO I



01. Em Faça a diferença!/ Seja voluntário, percebe-se que o texto foi construído de acordo com a função de linguagem

a) Emotiva, porque o objetivo do emissor é transmitir suas emoções e anseios, isto é, a mensagem é subjetiva e centrada no emitente.
b) Conativa, porque o objetivo é de influenciar, convencer o receptor de alguma coisa por meio de uma ordem, sugestão, convite ou apelo.
c) Fática, porque visa estabelecer uma relação com o emissor, um contato para verificar se a mensagem está sendo transmitida ou para dilatar a conversa.
d) Poética, porque o emissor expressa seus sentimentos através de textos que podem ser enfatizados por meio das formas das palavras, da sonoridade, do ritmo.
e) Referencial, porque transmite uma informação de forma clara e objetiva, mantendo a imparcialidade, sem ter a pretensão do convencimento.

02. A alteração (X) feita na oração central do cartaz tem o objetivo de

a) corrigir desvios no uso da língua portuguesa.
b) mostrar o tipo de comportamento individual que não pode ser aceito pela sociedade.
c) desprestigiar o trabalho exercido pelos voluntários.
d) mostrar a necessidade de transformação de um comportamento passivo para um ativo.
e) ressaltar a importância de um trabalho voluntário coletivo e dependente do outro.

03. A oração Eu crio um mundo melhor tem o intuito de

a) ressaltar a importância do trabalho de voluntariado.
b) dizer que cada indivíduo deve ser responsável por deu futuro.
c) criticar a o comportamento passivo da população diante dos problemas sociais.
d) mostrar a importância de saber se expressar para convencer o outro.
e) convidar o cidadão a ser proativo na sociedade e a mudar a realidade.

TEXTO II



04. O cartaz em análise foi divulgado com o objetivo de fazer
a) uma conscientização.
b) um alerta.
c) um convite. 
d) uma advertência.
e) uma crítica.

05. Nas orações (I) “Manifeste-se” e (II) “É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”, podem ser observadas, respectivamente, as funções de linguagem

a) (I) – apelativa / (II) – expressiva.
b) (I) – expressiva / (II) – metalinguística.
c) (I) – apelativa / (II) – denotativa.
d) (I) – fática / (II) – apelativa.
e) (I) – expressiva / (II) – denotativa.

06. Em “É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”, o substantivo “censura” poderia ser substituído, sem alteração de sentido, por

a) reprovação.
b) crítica.
c) advertência.
d) controle.
e) permissão.

TEXTO III




Transcrição:
Desamarre de vez deste mal, que o aprisiona, que o deixa sem ar, irritado, ansioso e depressivo.
Destrua de uma vez esta droga, que faz com que seu corpo sofra alterações, o deixando fora de si.
Queime de uma vez por todas, esta ideia de que não consegue, não tem forças e é fraco. O vício pode ser grande, mas não é maior do que você.
Diga sim à vida e decida por ser feliz, sadio e livre!!

07. Neste cartaz, o uso da imagem que compõe o texto não-verbal tem a função de
a) chamar a atenção do público para o combate ao tabagismo, ilustrando a mensagem do slogan.
b) apenas ilustrar o cartaz, demonstrando a criatividade do publicitário que criou a propaganda.
c) chocar o público com a exposição de uma cena que demonstra as consequências do cigarro.
d) conscientizar o público das mazelas causadas pelo uso prolongado do cigarro.
e) convencer o fumante de que fumar prejudica tanto ele próprio como as pessoas que o rodeiam.

08. Ao analisar o texto verbal do cartaz, é correto afirmar que
I. Os verbos no imperativo, no início dos períodos, foram empregados para dar ordens aos fumantes.
II. Na frase “Desamarre de vez deste mal...”, o verbo desamarrar é pronominal, portanto deveria estar acompanhado do pronome SE”.
III. Em “que o desamarra”, a próclise do pronome oblíquo O” justifica-se pela presença do pronome relativo QUE”, que atrai o pronome oblíquo para antes do verbo.
IV. No período “...que faz com que seu corpo sofra alterações, o deixando fora de si”, não pode ser detectado nenhum desvio quanto às normas gramaticais.
V. “Queime de uma vez por todas, esta ideia de que não consegue, não tem forças e é fraco”. Nesse período, houve o emprego inadequado da vírgula depois de “todas”, pois está separando o verbo do seu complemento.
VI. Em “Desate este nó da sua vida”, o verbo “desate” refere-se à segunda pessoa do singular, com o objetivo de demonstrar intimidade com o interlocutor.

a) os itens I, III e IV são falsos.
b) os itens II, IV e V são verdadeiros.
c) os itens II, III e V são verdadeiros.
d) os itens I, II e V são falsos.
e) os itens III e IV são verdadeiros.

09. Em “O vício pode ser grande, mas não é maior do que você”, a conjunção em destaque tem a função de

a) adicionar uma outra oração ao período, acrescentando uma informação inesperada.
b) introduzir uma ideia contrária, oposta à expressa na oração anterior.
c) introduzir uma informação que vai complementar a ideia da primeira.
d) indicar uma conclusão que foi tirada a partir da informação dada na 1ª oração.
e) introduzir uma explicação a um fato relatado na 1ª oração.

10. Em “Desate este nó da sua vida”, verifica-se a presença da figura de linguagem denominada

a) Catacrese.
b) Metonímia.
c) Eufemismo.
d) Hipérbole.
e) Metáfora.





GABARITO: 01. B; 02. D; 3. E; 4. A; 5. C; 6. D; 7. A; 8. C; 9. B. 10. E

Nenhum comentário:

Postar um comentário