sexta-feira, 13 de maio de 2016

ATIVIDADE DE COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - GÊNERO TEXTUAL: NOTÍCIA

ATIVIDADE DE COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO – GÊNERO TEXTUAL: NOTÍCIA

Texto I

1,5 milhão de cearenses vivem com até R$ 2,33/dia
Em Fortaleza, 133.992 pessoas têm este perfil. Regionais V e VI concentram casos mais críticos na Capital

A alegria de Francisca Íris, 38, tem cor amarelo-ovo e repousava no sofá ao relento quando O POVO encontrou com ela e “Coitada”, a cachorra, no Conjunto Palmeiras, em Fortaleza, ontem à tarde. Estar no rol de 1,5 milhão de cearenses cuja renda familiar mensal é inferior a R$ 70 por pessoa só permite o mínimo da subsistência. Faz a mulher e o companheiro Sebastião Morais da Silva, 48, o “Gil”, encontrarem no descarte alheio refeições para uma semana num saco encardido, povoado de moscas e cheio de sobras de gordura de carne bovina. Mas não tira o sorriso e a vontade de poesia dos dois. Ela já salvou da morte no lixo três buquês de flores. “Não queria que elas morressem”, explica Íris - a “Lôra”.
            Apenas em Fortaleza, 133.992 “Lôras” e “Gils da Favela” tentam sobreviver com até R$ 2,33 por dia, segundo relatório do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). Banheiro? Luxo. Colchão para dormir? A metade carcomida de um encontrado na rua. Sonhos? Milhares. A começar por trazer os dois filhos para debaixo do mesmo teto. Teto? Lona. “Mas eu gosto daqui. É uma comunidade boa; calma”, diz ela, referindo-se ao bairro da capital com o maior número de pessoas na extrema pobreza (ver quadro ao lado).
O índice de 17,8% de cearenses com este perfil é o terceiro maior do País, conforme o Ipece. Fica atrás apenas dos estados do Maranhão e Bahia. O de Fortaleza (5,46% da população) é o menor do Estado. Em números absolutos, porém, ocupa o topo do ranking por ser a mais populosa com seus 2,5 milhões de moradores.
Jornal O POVO, 06/11/2012.

01. O principal problema retratado na notícia acima é

a) a falta de estrutura básica nas casas das pessoas mais carentes.
b) os recursos financeiros escassos de boa parte da população cearense.
c) o descaso do poder público com relação às reais necessidades da população.
d) a falta de políticas públicas para a criação de mais empregos e ampliação da renda.
e) o déficit de moradias dignas para a população, que tem de viver em lugares impróprios.

02. Em “Mas eu gosto daqui. É uma comunidade boa; calma”, as aspas foram usadas para

a) fazer uma citação de um autor.
b) indicar a fala de um personagem.
c) indicar a fala de um entrevistado.
d) retratar uma situação verídica.
e) usar as palavras boa e calma com ironia.

03. Em “Fortaleza, 133.992 “Lôras” e “Gils da Favela” tentam sobreviver...”, os nomes Lôras e Gils estão representado

a) somente o casal que participou da entrevista do jornal O Povo.
b) todas as pessoas que vivem em situação de miséria no Conjunto Palmeiras.
c) os casais que moram debaixo de lonas e viadutos e estão desempregados.
d) as pessoas que fizeram parte dos depoimentos colhidos pelo jornal.
e) todas as pessoas que se enquadram neste nível de extrema pobreza.

04. O de Fortaleza (5,46% da população) é o menor do Estado”. Nessa oração, ocorreu um caso de referenciação por elipse (o termo referido ficou implícito). Sabendo disso, indique à qual a palavra o artigo “O” está se referindo.

a) perfil
b) Ipece
c) índice
d) estado
e) ranking

Texto II

Cientistas descobrem como vírus da zika se comporta no cérebro de bebês
Estudo traçou comportamento do vírus da zika no Brasil pela 1ª vez.
Resultados mostram que células são destruídas para que vírus multiplique.

Cientistas descobriram como é o comportamento do vírus da zika no cérebro dos bebês durante a gestação. A pesquisa pioneira foi feita por um consórcio brasileiro das universidades federais do Rio, Campinas, Pará e ainda dos institutos D'Or, Evandro Chagas e Fiocruz, como mostrou o Jornal Nacional nesta terça-feira (10).
Pela primeira vez, os cientistas brasileiros descobriram como o vírus da doença age dentro da célula nervosa em formação. O estudo em laboratório mostrou o roteiro traçado pelo vírus da zika.
Ele entra na célula e passa a se reproduzir muito. Depois, a célula ativa um sistema de defesa, ficando paralisada e não se desenvolve mais. Em seguida ela morre.
Em consequência disso, o número de neurônios é muito menor no feto infectado. Os cientistas encontraram alteração em 500 genes e proteínas dentro das células atacadas pelo vírus da zika, o que provoca a má formação do cérebro.
“É um vírus muito agressivo, ele mata as células em 12 dias. Ele usa todo mecanismo da célula, dessa fábrica celular para produção do vírus para se auto replicar, se auto reproduzir”, explica a neurocientista Patricia Garcez.
Ao entender o que o vírus faz nas células e as características, os cientistas podem impedir a evolução dele e, assim, agir mais rapidamente, encontrando soluções entre os medicamentos já existentes aqueles que podem ser mais eficazes contra a Zika, ou ainda ajudar a criar remédios novos a partir dessas informações.

Estas descobertas, no entanto, não tiram a obrigação de cada um no combate ao mosquito causador da zika, dengue e chikungunya. "Que as não pessoas fiquem esperando um medicamento e deixem de se proteger, não. Acho que a prevenção nesse caso, com certeza, é a nossa maior arma contra o mosquito. Contra o vírus da zika a gente precisa se proteger contra mosquitos", conclui Garcez.

10/05/2016 21h33 - Atualizado em 10/05/2016 21h33

05. A Notícia é um gênero textual jornalístico que tem como função predominante

a) Registrar fatos presentes para inclui-los futuramente em livros de história.
b) Defender um ponto de vista sobre um assunto polêmico da atualidade.
c) Explicar detalhadamente assuntos diversos de interesse da população.
d) Transmitir informações colhidas a partir de pesquisas realizadas pelos jornalistas.
e) Informar os leitores sobre os acontecimentos recentes e deixa-los atualizados.

06. Dentro de um mesmo texto, pode ser observada uma ou mais de uma função da linguagem, dependendo da intenção comunicativa. Ao analisar o trecho em destaque, verifica-se a função de linguagem

“Cientistas descobriram como é o comportamento do vírus da zika no cérebro dos bebês durante a gestação. A pesquisa pioneira foi feita por um consórcio brasileiro das universidades federais do Rio, Campinas, Pará e ainda dos institutos D'Or, Evandro Chagas e Fiocruz, como mostrou o Jornal Nacional nesta terça-feira (10)”.

a) Referencial
b) Fática
c) Emotiva
d) Conativa
e) Metalinguística

07. No período “os cientistas podem impedir a evolução dele e, assim, agir mais rapidamente...”, a conjunção em destaque expressa a ideia de
a) contrariedade.
b) conclusão.
c) concessão.
d) finalidade.
e) explicação.

08. Em “Estas descobertas, no entanto, não tiram a obrigação de cada um no combate ao mosquito causador da zika...”, a conjunção em negrito pode ser substituída por qual outra que tem o mesmo sentido?

a) Embora.
b) Logo.
c) Portanto.
d) Todavia
e) Então.

09.  Para convencer a população de que a prevenção é importante, mesmo com a possível descoberta de medicamentos de combate à zika, a principal estratégia argumentativa utilizada foi

a) Dados estatísticos.
b) Referência histórica.
c) Opinião de especialista.
d) Citação de livros sobre o assunto.
e) Comparação entre a realidade de países.

Texto III
África concentra 90% das crianças com vírus da aids, diz ONU
Cinquenta por cento destas crianças morrem antes dos cinco anos de idade.
Organização pede que os menores tenham acesso a tratamento antirretroviral.

A África abriga quase a totalidade de crianças infectadas pelo vírus HIV no mundo, lamentou na terça-feira (10), em Abidjã, o diretor-executivo da Unaids, um dos braços da ONU para questões sobre Aids/HIV, Michel Sidibé. Ele pediu que os menores tenham acesso universal ao tratamento antirretroviral.
"É uma questão de justiça social (...), uma questão de desigualdade profunda, porque 90% das crianças que vivem com aids se encontram, infelizmente, na África", afirmou Sidibé, na abertura de uma reunião sobre a aids e as crianças, que foi assistida por uma dezena de ministros de Saúde do continente e especialistas internacionais.
"Cinquenta por cento destas crianças que nascem com aids morrem antes do seu quinto aniversário" porque não têm "a sorte de ter acesso aos serviços que estão à disposição das demais crianças do resto do mundo", denunciou o diretor-executivo da Unaids.
"O acesso universal ao tratamento para as crianças deve se transformar em realidade", pediu.
A questão do HIV pediátrico tem um "caráter importante e urgente", assegurou por sua parte Dominique Ouattara, primeira-dama da Costa do Marfim e embaixadora da Unaids para a eliminação da transmissão de mãe para filho.
Na Costa do Marfim, "somente 18% dos menores de 5 anos que vivem com o HIV/aids têm acesso ao tratamento antirretroviral", recordou Terence McCulley, embaixador americano na Costa do Marfim.
Cinco milhões de pessoas seguem sem ter acesso ao tratamento contra o HIV/aids na África central e ocidental, segundo informação da ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF), publicado em março.

10/05/2016 16h50 - Atualizado em 10/05/2016 16h51

10. O período que melhor resume a tese defendida por Michel Sidibé é

a) "Cinquenta por cento destas crianças que nascem com aids morrem antes do seu quinto aniversário".
b) "É uma questão de justiça social (...), uma questão de desigualdade profunda,...”
c) “A questão do HIV pediátrico tem um "caráter importante e urgente"...
d) “...somente 18% dos menores de 5 anos que vivem com o HIV/aids têm acesso ao tratamento antirretroviral".
e) "O acesso universal ao tratamento para as crianças deve se transformar em realidade”.

11. Sobre o uso das aspas no texto, podem-se considerar corretas as seguintes afirmações:

I.  No trecho, "a sorte de ter acesso aos serviços que estão à disposição das demais crianças do resto do mundo", as aspas foram usadas para indicar ironia.
II. O motivo que justifica o uso das aspas foi o mesmo em todas as situações em que elas aparecem.
III. Em “A questão do HIV pediátrico tem um "caráter importante e urgente"...”, as aspas destacadas foram usadas somente para dar ênfase e destacar palavras que o jornalista julgou mais essenciais.
IV. As aspas foram usadas no texto para indicar a fala de uma pessoa que não era a do jornalista que escreveu.

a) As afirmações I e IV estão corretas.
b) As afirmações II e IV estão corretas.
c) As afirmações II e III estão corretas.
d) As afirmações I e III estão corretas
e) As afirmações I, II e IV estão corretas.

12. Com relação à notícia em estudo, além de transmitir uma informação, observa-se também no texto a intenção de

a) sensibilizar os governantes e as populações de outros países para o grave problema que aflige as crianças africanas.
b) explicar os sintomas da AIDS em crianças e os possíveis tratamentos para melhorar a qualidade de vida desses infantes.
c) chamar a atenção dos ministros de saúde para a grande incidência de AIDS no continente africano.
d) explicar as desastrosas consequências da AIDS para a economia dos países africanos.
e) estabelecer um debate mundial sobre a desigualdade social entre os continentes do planeta.




GABARITO: 
01. B; 02. C; 03. E; 04. C; 05. E; 06. A; 
07. B; 08. D; 09. C; 10. E; 11. B; 12. A.

2 comentários: